Temos experiência e qualificação para prestar atendimento personalizado e estratégico à sua operadora.

Sobre Nós

Há mais de 15 anos, a Sallus Gestão em Saúde e Assessoria Contábil nasceu da percepção de seu fundador de que as operadoras de planos de saúde e odontologia necessitam de soluções estratégicas para atender às normas técnicas regulamentadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e de serviços contábeis voltados à suas demandas. Atualmente, a Sallus tem abrangência nacional atendendo mais de 130 clientes satisfeitos com o nosso trabalho.

Porque contratar a Sallus?

Nossa Equipe

A equipe da Sallus é composta por profissionais qualificados em Administração de Empresas, Contabilidade, Direito, Ciências Atuariais, Estatística, Recursos Humanos e Enfermagem. Os nossos colaboradores têm experiência na área de saúde suplementar para oferecer soluções personalizadas ao perfil e às necessidades de gestão e contabilidade das operadoras de Planos de Saúde e Odontologia.

Diretor Presidente

Pedro Pereira é o responsável pela criação da nossa história. Com mais de 25 anos de experiência, tem uma visão inovadora do mercado. Graduado em Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Ciências Atuariais e pós-graduado em Gestão Empresarial, é pioneiro nos serviços contábeis para operadoras de planos de saúde e odontologia e especialista em consultoria técnica e atuarial em saúde, seguros e previdência.

Descubra nossas soluções para sua operadora. Solicite uma proposta e saiba mais sobre os nossos serviços.

15 de janeiro de 2018

Vigitel 2016: estudo avalia benefícios dos planos de saúde

O número de indivíduos com excesso de peso e obesidade entre os beneficiários de planos de saúde continua crescente e alarmante, é o que aponta um amplo estudo realizado pelo Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). De acordo com a pesquisa Vigitel Brasil 2016 – Saúde Suplementar, a proporção de beneficiários adultos de planos de saúde com excesso de peso vem aumentando desde 2008, quando foi realizado o primeiro levantamento, passando de 46,5% para 53,7%. O mesmo ocorre com a proporção de obesos, que aumentou de 12,5% para 17,7%. Acompanhando a evolução desfavorável, a frequência de beneficiários com diagnóstico médico de diabetes aumentou em média 0,2% ao ano no período entre 2008 e 2016. Mas a pesquisa também traz boas notícias na variação entre 2008 e 2016: a proporção de fumantes caiu de 12,4% para 7,3%; a de indivíduos fisicamente inativos reduziu de 19,2% para 14,2%; e o consumo de frutas e hortaliças aumentou de 27% para 30,5%. Pela primeira vez, acompanhando o comportamento da sociedade, o Vigitel incluiu indicadores relacionados ao tempo livre gasto diante de telas de computador, tablet e celular. Considerando o conjunto da população adulta estudada, a frequência do hábito de […]